Anheuser-Busch novamente processada por rótulo enganador

[ultimatesocial skin="easy" networks="facebook,twitter,mail,total" custom_class="ultimatesocial-single top" count="false" align="left" share_text=""]

A Anheuser-Busch InBev (AB-InBev) foi confrontada com um processo em tribunal de um norte-americano da Florida que se queixa de ter sido levado a pensar que a cerveja Leffe era produzida num mosteiro belga.

O queixoso alega que o gigante das cervejas utilizou uma embalagem enganosa na cerveja e que a comercializou como um produto premium. Para além de incluir no seu rótulo a torre do sino de um mosteiro, usou também expressões como “produzidas e aperfeiçoada por monges belgas” e “750 anos de tradição belga”. Tudo isto levou-o a pagar mais pela cerveja porque pensou de que se tratava de um produto especial, quando na realidade a cerveja é produzida em massa na mesma fábrica automatizada que produz a Stella Artois.

“O marketing deles mostra claramente a Leffe como uma cerveja artesanal de especialidade”, disse a advogada do queixoso numa entrevista telefónica com a Reuters. “Os consumidores acreditam que estão a comprar algo de disponibilidade limitada e de qualidade muito elevada. Não é o caso”.

Ao contrário de outras cervejas belgas, como a Chimay, a Leffe não é produzida num mosteiro desde que a Abadia de Leffe foi destruída na Revolução Francesa, no final do século 18.

Este tipo de processos não são novidade. Ainda no ano passado a AB-InBev teve problemas com o rótulo da sua marca Beck’s e foi obrigada a devolver dinheiro aos consumidores.

FonteFoxNews

Deixe uma mensagem!