Deadpool (Ryan Reynolds)

Actor Ryan Reynolds ajuda a pagar multa de cinema que serviu cerveja

Partilhar por e-mail










Enviar
7
Partilhas

Ao que parece o actor Ryan Reynold, protagonista do recente filme Deadpool, terá doado 5000 dólares para ajudar a pagar a multa de um cinema do Utah que foi apanhado a servir cerveja durante uma exibição do filme.

No relatório apresentado pelo agente Bradley Bullock, pode ler-se que a personagem é vista várias vezes “envolvida em actos ou actos simulados de relações sexuais com a companheira feminina durante uma montagem de cariz sexual”. O agente também referiu a aparição de uma stripper nua noutra cena do filme.

Tudo isso porque a lei do Utah diz que os estabelecimentos comerciais estão proibido de servir álcool durante a exibição de filmes que incluam actos ou simulação de sexo, nudez frontal total ou “acariciamento” de seios ou nádegas.

A DABC (Department of Alcoholic Beverage Control, uma entidade reguladora do Utah), classificou a apresentação do filme com essas características na presença de álcool como uma “grave violação” da lei do estado, com penalizações que podem incluir a suspensão da licença de álcool por 10 dias ou até revogação, e multas de $1000 a $25000.

Perante esta situação, o actor terá doado $5000 para ajudar o cinema com a multa e até publicou no seu twitter: “Graças a deus, eles encontraram uma forma de legislar a diversão”.

O cinema Brewvies, que já tinha recebido uma multa anterior pelo mesmo motivo, está a considerar processar o DABC, alegando que a lei é inconstitucional. Afirmam que em outros estados com estatutos equivalentes estas leis foram desconsideradas pelos tribunais e lembram um caso em que a lei foi revogada quando um cinema processou o Estado por ter sido ameaçado com cancelamento da licença por servir cerveja durante o “50 Sombras de Grey”.

O advogado diz que é ridículo que o DABC gaste dinheiro dos contribuintes para enviar agentes à paisana a cinemas para ver filmes e comprar cerveja. Chama ainda a lei de “flagrantemente inconstitucional”.

O caso terá novos desenvolvimentos em Maio.

Fonteindependent.co.uk / thedrinksbusiness.com

Deixe uma mensagem!