A cerveja Corona está a ter grandes prejuízos por causa do novo coronavírus

A cerveja Corona está a ter grandes prejuízos por causa do novo coronavírus

O novo coronavírus (COVID-19) fez com que a Corona tivesse o pior trimestre dos últimos dez anos. A Anheuser-Busch InBev, dona da Corona, perdeu mais de 250 milhões de euros em todo o mundo desde que a epidemia começou.



O novo coronavírus (COVID-19) fez com que a marca de cerveja Corona tivesse o pior trimestre dos últimos dez anos. A gigante Anheuser-Busch InBev, dona da Corona e de muitas outras marcas famosas, como a Budweiser ou a Stella Artois, perdeu mais de 250 milhões de euros em todo o mundo desde que a epidemia começou na China.

Carlos Brito, o chefe executivo da Anheuser-Busch InBev, atribui estas perdas à diminuição da vida noturna na China e não ao nome da cerveja. Entretanto a empresa reabriu metade das cervejarias no país, que estavam paradas para evitar a propagação do vírus, e está a restabelecer a normalidade. A única excepção é a cidade de Wuhan, a cidade mais afetada.

Embora a marca não reconheça uma relação entre as quebras nas vendas e a semelhança do nome da cerveja e do vírus, há muitos artigos que referem uma recente sondagem nos Estados Unidos que revelou que 38% dos inquiridos não vai “sob qualquer circunstância” comprar a marca Corona, que 16% “não tem a certeza” se a infecção estará relacionada com a cerveja e que 14% das pessoas que consomem regularmente Corona afirmam que agora não pede cerveja dessa marca em locais públicos.

Os resultados dessa sondagem deram origem a uma data de comentários negativos nas redes sociais, como o Twitter, apontando a ignorância dos norte-americanos. A verdade, é que pelos vistos essa sondagem não terá sido realizada nem interpretada da forma mais científica.

Pelo que vi, nada do que que foi publicado sobre a sondagem refere que os inquiridos eram consumidores habituais da cerveja Corona. Nesse caso, não há dados que provem que os inquiridos que disseram que neste momento não comprariam Corona, o fizessem se o vírus não tivesse surgido. Podiam simplesmente preferir outras cervejas.

É verdade que a sondagem indica que 16% das pessoas não têm a certeza de não haver relação entre a cerveja e o vírus, mas não vamos passar um atestado de ignorância a toda a população de um país por causa de uma minoria potencialmente ignorante, numa sondagem que me parece duvidosa. Vamos guardar isso para o caso de eles reelegerem Trump 😉.